Sábado, 20 de Julho de 2019

PETISCO DE CAPOEIRA

 

Petisco de capoeira.jpg

PETISCO DE CAPOEIRA

 

Com a franga tão inchada
E com essa raposa à solta,
Temos galinha depenada,
Sem penas a toda a volta...

 

Com as asas pra cada lado
E recheada de boas pernas,
Come-se até ficar cansado
E análoga avidez de feras...

 

E escorregadia como azeite,
Não há carninha que sobre,
Ou prato que não se aceite.

 

Em tal petisco de capoeira,
Nada há que se não dobre,
Em qual conversa brejeira...

 

( Manuel Nunes Francisco ©® )
( Imagem da net )
Todos os Direitos de Autor reservados e protegidos nos termos da Lei 50/2004, de 24 de Agosto - Código do Autor. O autor autoriza a partilha deste texto e/ou excertos do mesmo, assim como a imagem inédita, se existente, desde que mantidos nos seus formatos originais e obrigatoriamente mencionada a autoria da obra intelectual.

 

sinto-me:
tags:

publicado por francisfoto às 01:32
link do post | comentar | favorito
Domingo, 14 de Julho de 2019

TRABALHAR EM VÃO

 

Trabalhar em vão.jpg

TRABALHAR EM VÃO

 

Há os que trabalham em vão,
Outros que nem vão trabalhar,
Alguns por tão ricos que o são
E que te puseram a mendigar...

 

Do suor ninguém enriquece,
Tal que trabalhes noite e dia,
Mera luta e que só te aquece
E que te empanturra de azia.

 

Se fores corrupto, tens virtude,
Transpirando de aprazível vida
E que não por honesta atitude...

 

Pois, se a continuares honrado,
Toda a tua guerra será perdida,
Em pobre morte e desgraçado!

 

( Manuel Nunes Francisco ©® )
( Imagem da net )
Todos os Direitos de Autor reservados e protegidos nos termos da Lei 50/2004, de 24 de Agosto - Código do Autor. O autor autoriza a partilha deste texto e/ou excertos do mesmo, assim como a imagem inédita, se existente, desde que mantidos nos seus formatos originais e obrigatoriamente mencionada a autoria da obra intelectual.

 

sinto-me:
tags:

publicado por francisfoto às 11:52
link do post | comentar | favorito
Sábado, 13 de Julho de 2019

SINTO REVOLTA

 

Sinto Revolta.jpg

 

sinto-me:
tags:

publicado por francisfoto às 16:14
link do post | comentar | favorito

AREIAS DE CONTORNOS

 

Areias de contornos.jpg

AREIAS DE CONTORNOS

 

São investidas, de vai e vem, pelas praias,
Roladas ao longo das tão extensas areias,
Agradecidas ondas, doces lágrimas de rio,
Quantas incertezas, amores de desconfio.
Desfazem-se e enrolam-se, por tristezas,
Quantas outras de imensuráveis alegrias,
Quão oscilantes temperaturas e rendidas
Aos quantos, como elas, depois vencidas.
Mesmo que nunca vistas ao que querias,
Nem deixando o estatuto de matreiras,
Contornam corpos seminus, ou despidos,
No encanto e outros tantos ressequidos,
Mas inchados, tais as cegueiras benzidas
Em tantas areias e mais que revolvidas...
Ondas e abafo a outras ondas corporais,
Abraçadas por mariposas demais banais,
Tentando dar nas vistas num impossível,
Quanto mais aos olhos do compreensível.
São meras, absurdas provas a devaneios,
Passagens céleres e modestos veraneios,
Longe de olhos e de confusões habituais,
Camaleónicas ilusões, calmas espirituais...
Tais ondas, levam e trazem, essa espuma,
Águas salgadas e no esplendor da bruma,
Numa refectida luz sobre manto de praia,
E aquecidos corpos, sobre cálida cambraia
E num esfreganço de cremes sobre corpos,
Quantas vezes disfarçados nos contornos...

 

( Manuel Nunes Francisco ©® )
( Imagem da net )
Todos os Direitos de Autor reservados e protegidos nos termos da Lei 50/2004, de 24 de Agosto - Código do Autor. O autor autoriza a partilha deste texto e/ou excertos do mesmo, assim como a imagem inédita, se existente, desde que mantidos nos seus formatos originais e obrigatoriamente mencionada a autoria da obra intelectual.

 

 

sinto-me:
tags:

publicado por francisfoto às 00:20
link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 9 de Julho de 2019

SEITA DECLARADA

 

Seita declarada.png

SEITA DECLARADA

 

É triste, mas é verdade,
Que essa seita de chalé,
Não nos deixam saudade
E por quanto serem ralé...

 

E semelhantes a porcos,
Nem merecem a estima,
Que nos alcunham de loucos
E sem palavras de rima...

 

Na vontade de cuspi-los,
Tratá-los como animais,
Numa ofensa aos demais!

 

... Aos palácios que pisam
E à gente que exploram,
Dá vontade de chumbá-los!

 

( Manuel Nunes Francisco ©® )
( Imagem da net )
Todos os Direitos de Autor reservados e protegidos nos termos da Lei 50/2004, de 24 de Agosto - Código do Autor. O autor autoriza a partilha deste texto e/ou excertos do mesmo, assim como a imagem inédita, se existente, desde que mantidos nos seus formatos originais e obrigatoriamente mencionada a autoria da obra intelectual.

 

sinto-me:
tags:

publicado por francisfoto às 19:24
link do post | comentar | favorito
Sábado, 6 de Julho de 2019

ASSIM ME CONFESSO

 

Assim me confesso.png

ASSIM ME CONFESSO

 

Quero e neste tanto querer,
Tampouco sei se o mereça...
Esperando que tal aconteça,
Talvez que tenha e sem saber!

 

Penso, enquanto adormeço,
Numa confusão de compasso,
Que nesta forma confesso,
O desejo de um abraço...

 

Enquanto chilreiam pássaros,
Em acompanhante melodia,
Num sinal de novo dia...

 

Já se ouvem alguns passos,
Nestes minutos já escassos
E por vidas de embaraços...

 

( Manuel Nunes Francisco ©® )
( Imagem da net )
Todos os Direitos de Autor reservados e protegidos nos termos da Lei 50/2004, de 24 de Agosto - Código do Autor. O autor autoriza a partilha deste texto e/ou excertos do mesmo, assim como a imagem inédita, se existente, desde que mantidos nos seus formatos originais e obrigatoriamente mencionada a autoria da obra intelectual.

 

sinto-me:
tags:

publicado por francisfoto às 10:40
link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 5 de Julho de 2019

ESTE MEU AVISO

 

Aviso importante.png

ESTE MEU AVISO

 

Ai, tu, parecida gente, mas ave rara,
Cor semelhante a reles noite escura,
Não interfiras na minha vida e pára,
Por conselho que te dou e tua cura!...

 

Tenho remédio para todo esse mal,
Enquanto me espreitas às esquinas,
Cujo vício te pode deveras ser fatal,
Tão perigoso, a que nem adivinhas!

 

Trata da tua vida e deixa-me em paz,
Podendo-te sair tal tiro pela culatra
E sem saberes daquilo que sou capaz...

 

Não o coloques à prova, nem tentes!
Deixa-te de conspirar e fazer montra,
Ser pombo-correio do que não sabes!...

 

( Manuel Nunes Francisco ©® )
( Imagem da net )
Todos os Direitos de Autor reservados e protegidos nos termos da Lei 50/2004, de 24 de Agosto - Código do Autor. O autor autoriza a partilha deste texto e/ou excertos do mesmo, assim como a imagem inédita, se existente, desde que mantidos nos seus formatos originais e obrigatoriamente mencionada a autoria da obra intelectual.

 

sinto-me:
tags:

publicado por francisfoto às 04:16
link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 1 de Julho de 2019

MINHAS SIMPLES PALAVRAS

 

Palavras.jpg

MINHAS SIMPLES PALAVRAS

 

Em simples palavras e amarrotada folha,
Escrevem-se os mais genuínos sentidos,
Olhando-se o alcance, que ninguém olha,
De todos, quanto sós e demais perdidos.
Tentam-se objectivos, se não alcançados,
Mas talvez princípios de mentes confusas
E de todos aqueles que mais desgraçados,
Pedindo protecção e que tão-pouco usas.
São estes os básicos louvores que utilizo,
Caminhando a par de tais desprotegidos,
Mendigos, abandonados, que imortalizo
E que, até à morte, os mais perseguidos.
Eu sei, quanto meras, são estas palavras
E quanto de incompreendidas tanto são,
Sulcadas por arado com o qual não lavras,
Mas que sentidas e brotadas do coração.
Sempre que as não entendas, volta atrás,
Procurando nas entrelinhas qual segredo,
Talvez que encontres aquilo que não dás
E que acordes desse ego de meter medo.
Por entre fracas linhas, venho sacudir-te,
Lembrar-te que não és o único no mundo,
Dizer-te o quanto erro e que vou ouvir-te,
Sempre que estou perdido e lá no fundo...
Fecho o meu livro, sempre que quero paz,
Busco a tal folha, mesmo que amarrotada
E procuro nova escrita e naquilo que capaz,
Vendo-me a teu lado e ao longo da estrada.
Se são palavras que o vento e tão fácil leva,
De pouco me interessa, desde que as oiças
E tal feitas eco, no cume, sempre que neva
E aquecido alimento nas tuas poucas loiças...
Sobre tal pobre casa, à chuva da montanha,
Caiem as mesmas águas que nos seduzem,
Trazendo alguma esperança e fé tamanha,
Às brisas e das palavras que nos conduzem.
Procura-me no vento, no Sol, nestas linhas,
Na água dos rios e dos mares, onde queiras
E nunca te esqueças destas escritas minhas,
Palavras sérias, singelas, por entre asneiras...

 

( Manuel Nunes Francisco ©® )
( Imagem da net )
Todos os Direitos de Autor reservados e protegidos nos termos da Lei 50/2004, de 24 de Agosto - Código do Autor. O autor autoriza a partilha deste texto e/ou excertos do mesmo, assim como a imagem inédita, se existente, desde que mantidos nos seus formatos originais e obrigatoriamente mencionada a autoria da obra intelectual.

 

sinto-me:
tags:

publicado por francisfoto às 00:01
link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim


. ver perfil

. seguir perfil

. 6 seguidores

.pesquisar

 

.Agosto 2019

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9

12
13
14
15

20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30
31


.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. DESCULPAS...

. ENCERRO OS OLHOS

. POLÍTICOS

. COMODISMO...

. ESCRITA DE CAMÕES

. ÍNFIMO ÁTOMO DO COSMO

. DESILUSÃO DE UM PORTUGUÊS...

. BATER DO CORAÇÃO

. MAIOR QUE A TRISTEZA...

. GOSTARIA DE SER BOMBA

.arquivos

. Agosto 2019

. Julho 2019

. Junho 2019

. Maio 2019

. Abril 2019

. Março 2019

. Fevereiro 2019

. Janeiro 2019

. Dezembro 2018

. Novembro 2018

. Outubro 2018

. Setembro 2018

. Agosto 2018

. Julho 2018

. Junho 2018

. Maio 2018

. Abril 2018

. Março 2018

. Fevereiro 2018

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Setembro 2015

. Julho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Junho 2014

.tags

. todas as tags

SAPO Blogs

.subscrever feeds