Quinta-feira, 17 de Setembro de 2020

MINHA PEDRA FILOSOFAL

 

Minha pedra filosofal II.jpg

MINHA PEDRA FILOSOFAL

 

Vocês não sabem, nem sonham,
O quanto eu sonho na vida,
Seja ela ganha, ou perdida,
Por sonhos que me arrulham...
Neste Universo, colorido,
Salto, pulo e avanço,
Mesmo naquilo que não alcanço,
Mas nunca de arrependido;
Desenho sempre esperança,
Nas cores do melhor pincel,
Pintando tudo cor de mel,
Por meus olhos de criança,
Nestes meus sonhos, lembranças,
Esculturas de um futuro,
Não vendo, pela frente, o muro,
Na inocência de crianças...
Derrubo pedras em que tropeço,
Semeando esses meus sonhos
E querendo colher, aos molhos,
Quantos dos delírios que peço.
Vocês não sonham, mas sabem,
Dessas viagens universais,
Em naus, por rotas celestiais
E sem ventos que as levem...
Procuro sonhadores, argonautas
E cujos me sejam fiéis,
Que se façam ao mar, de batéis,
Em oníricos sons de flautas,
Odes, cânticos de ninfas e trovadores,
Oriundos dos mais belos areais,
Olhando horizontes ancestrais
E escravos a ilhas dos amores...
Ah, se vocês soubessem sonhar
E por entre meus sonhos viver,
Muito me iriam agradecer,
O quanto vos estou a falar!...
Sonho, como gaivota aguerrida,
Tipo asa-delta e que sobrevoa
Telhados em que a voz entoa,
Por fados de garganta dorida
E seguindo passos da dulcineia,
Nos segredos de vielas escuras,
Procurando meus sonhos e curas,
Numa pedra filosofal e panaceia;
Sonho acordado, olhando o Sol,
Adormeço a sonhar, noite fora,
Sonho andando, a toda a hora,
Seguindo sonhos, qual girassol...
Se nada houver num dia de rol,
Troco de sonhos e sigo caminho,
Serei a eterna criança e sozinho,
Seguindo sonhos de algum farol...
Ou subirei ao alto de um capitel,
Abraçando a luz que tanto vejo,
Fazendo do meu sonho o desejo
E cujo será a obra do meu cinzel!...

 

( Manuel Nunes Francisco ©® )
( Imagem da net )
Todos os Direitos de Autor reservados e protegidos nos termos da Lei 50/2004, de 24 de Agosto - Código do Autor. O autor autoriza a partilha deste texto e/ou excertos do mesmo, assim como a imagem inédita, se existente, desde que mantidos nos seus formatos originais e obrigatoriamente mencionada a autoria da obra intelectual.

sinto-me:
tags:

publicado por francisfoto às 12:43
link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim


. ver perfil

. seguir perfil

. 6 seguidores

.pesquisar

 

.Outubro 2020

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

12
13
14

20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30
31


.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. ÁGUAS QUE CORREM

. HISTÓRIAS DA VIDA...

. SINTO, ENQUANTO VIVO...

. O QUE TANTO ESCONDO

. OLHANDO O FIRMAMENTO...

. SONHOS DESALMADOS

. ESPÉCIME DE POETA...

. ESMOLAS À PORTA

. SINCERIDADE...

. POBRES, MAS SUBSERVIENTES

.arquivos

. Outubro 2020

. Setembro 2020

. Agosto 2020

. Julho 2020

. Junho 2020

. Maio 2020

. Abril 2020

. Março 2020

. Fevereiro 2020

. Janeiro 2020

. Dezembro 2019

. Novembro 2019

. Outubro 2019

. Setembro 2019

. Agosto 2019

. Julho 2019

. Junho 2019

. Maio 2019

. Abril 2019

. Março 2019

. Fevereiro 2019

. Janeiro 2019

. Dezembro 2018

. Novembro 2018

. Outubro 2018

. Setembro 2018

. Agosto 2018

. Julho 2018

. Junho 2018

. Maio 2018

. Abril 2018

. Março 2018

. Fevereiro 2018

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Setembro 2015

. Julho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Junho 2014

.tags

. todas as tags

SAPO Blogs

.subscrever feeds