Sábado, 4 de Abril de 2020

O QUE RESTA DESSA ARROGÂNCIA...

 

 

Obra de Ilusão.jpg

O QUE RESTA DESSA ARROGÂNCIA...

 

Sim, não ignoro!... Eu sei que me temem,
Respeitam e, quando surjo, até odeiam!...
Talvez porque apareço de inconveniente,
À socapa e quando menos me esperam,
Aquando desprotegidos e tão de repente,
Mas é assim, pra que de mim se lembrem!...

 

Agora choram, enquanto buscam soluções,
Esquecendo-se de quando tiveram tempo,
Mas não e eis ao que se deixaram arrastar!...
Primeiro, estava a arrogância, como tampo
E no qual se sentaram, nunca para meditar,
Vivendo absurdas e fúteis preocupações!...

 

Eram os luxos desmesurados, quão fictícios,
Produto do qual só restam as lembranças!...
E as mentiras de um qual bem escondido,
Tudo parecendo a sério, festas e festanças,
Naquilo a que cada qual andava rendido
E nalgum labirinto de emancipados vícios!...

 

Indago, onde rasteja todo esse dinheiro,
Esses carros, as vestes caras e telemóveis,
A derradeira geração de computadores,
O último grito desses supérfluos móveis,
A troca e consecutiva, de casa e amores,
Ao que, no fundo, não passas de rafeiro!?...

 

Por onde se manifesta esse então poder,
Pelo que pensavas ser o senhor de todos
E de tudo, a quanta indecência monetária,
Empurrando quantos e por severos lodos,
Vasculhando na subserviência partidária
E sem preocupação de quem irias foder!?...

 

Chafurdaste nos mais miseráveis negócios,
Deixando de lado tudo demais importante,
Construíste neutrões, a tal sofisticada arma,
Olhando de viés o fármaco e tão ignorante,
Permitindo manobra a tal paciente trama,
Levando-te à terra e a quantos teus sócios!...

 

Hoje, andas sem rumo, tal e qual quanto eu,
Desvias-te de mim, ao nojo que tenho de ti
E quando nos cruzamos, por algum passeio...
Tresandas de medo e nem tu, nem eu parti,
Compartilhando esse activo recíproco receio,
Que uma Universal Justiça assim prescreveu!...

 

Sim, pensa no que tens estado pra aí a pensar!...
Poderei ser esse vírus, a quem chamam Corona,
Ou, tão simplesmente, quem te fez estremecer,
Qual droga, talvez a tua necessitada metadona,
Pelos inquietos dias, em que te farei adormecer,
Ou tal desconhecido, sempre que voltar a passar!...

 

Serve qual descrito, somente para me apresentar,
Neste meu manifesto e por procuração de escrita,
Sabendo eu, porém, que pouco, ou nada, mudará,
Tamanha a sina de toda uma sociedade hipócrita,
Apontando todos os dedos a quem por mim falará,
Demasiados, pra lhe limpar o cu, quando tal cagar!...

 

( Manuel Nunes Francisco ©® )
( Imagem da net )
Todos os Direitos de Autor reservados e protegidos nos termos da Lei 50/2004, de 24 de Agosto - Código do Autor. O autor autoriza a partilha deste texto e/ou excertos do mesmo, assim como a imagem inédita, se existente, desde que mantidos nos seus formatos originais e obrigatoriamente mencionada a autoria da obra intelectual.

sinto-me:
tags:

publicado por francisfoto às 23:28
link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim


. ver perfil

. seguir perfil

. 6 seguidores

.pesquisar

 

.Junho 2020

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30


.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. O VAZIO DO SILÊNCIO

. LINHA DO HORIZONTE

. PRÍNCIPE DAS MARÉS

. TERRAS DE VERDE PINHO...

. PUTA QUE OS PARIU...

. ESSES MONSTROS!...

. SÓ SEI QUE NADA SEI...

. TALHADO NO ARVOREDO

. POVO, POVO, POR ONDE ANDA...

. PORTUGUESES DE PRIMEIRA E...

.arquivos

. Junho 2020

. Maio 2020

. Abril 2020

. Março 2020

. Fevereiro 2020

. Janeiro 2020

. Dezembro 2019

. Novembro 2019

. Outubro 2019

. Setembro 2019

. Agosto 2019

. Julho 2019

. Junho 2019

. Maio 2019

. Abril 2019

. Março 2019

. Fevereiro 2019

. Janeiro 2019

. Dezembro 2018

. Novembro 2018

. Outubro 2018

. Setembro 2018

. Agosto 2018

. Julho 2018

. Junho 2018

. Maio 2018

. Abril 2018

. Março 2018

. Fevereiro 2018

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Setembro 2015

. Julho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Junho 2014

.tags

. todas as tags

SAPO Blogs

.subscrever feeds